sexta-feira, 13 de julho de 2012

ENTRE TRAMAS, LAÇOS E AMORES

Horas que não passam
Passos que não traçam
Traços que não laçam
Laços que não tramam
Tramas que não amam
Amores que não chamam
Chamados que não clamam
Clamores que se calam
E a madrugada
Inesperada
Traz teu retrato
O teu tato, teu cheiro
Olhar passageiro
Me tiras o sono
Espero calada
Sozinha, deitada
Jardim sem flor
Em meio ao nada
Que nasça o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário