domingo, 12 de agosto de 2012

PULSAR

Enquanto respira, cada pedaço em seu corpo deixa transparecer a sensibilidade da vida. A força indecifrável que determina sua existência, transforma cada segundo em nova oportunidade. Os sonhos, que acompanham os suspiros e elevam sua alma, transformam a mágica jornada da vida em um tapete repleto de flores sob o céu reluzente de uma tarde de verão. E os poemas brotam como fontes de água cristalina, frutos da mesma vertente que alimenta o coração que pulsa, e encontra nos amores a sua razão.

2 comentários:

  1. Rimar é um aprumar sem prumo. A semear sem sumo, um só remar sem rumo.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Fico lisongeada pela delicadeza em tuas palavras!

    ResponderExcluir