terça-feira, 1 de janeiro de 2013

BALA DO TROCO

Ser um tronco torto,
tijolo quebrado que serve de banco.
A bala do troco,
a página em branco.
O destempero,
o desgosto e o lado oposto.
A história sem rosto,
o desespero.
Espero a resposta.
Procuro a saída.
O tempo não volta
na escolha da vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário