quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

E A MENINA DANÇA...

Minhas noites são todas iguais. 
No palco escuro, as estrelas são inspiração. 
A alma concede a melodia; 
o coração dá o tom; 
e a vida inspira a letra completando a canção. 
Então danço só, à procura de um par, 
pois a música mais linda só o amor sabe tocar. 

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

DESMEDIDA MANIA

Você. Novamente você com essa mania insana de amar.
Entregar-se, doar-se, jogar-se ao futuro desejado.
Despejar toda sua crença. Apostar toda sua fortuna.
Respirar e inspirar amor. Sem medo de errar, sem medo de dor.
Essa mania de amar, que lhe tira o sono e a fé.
Faz a despedida ser cruel, o nó na garganta machucar, a incerteza desmoronar um pouco de tudo.
A espera do não ou do sim é um ponto sem nó. Desfaz. Refaz.
Mania de amar sem saber a medida.

TOME DECISÕES!

Parece lógico dizer que só há construção através de ação, por isso vou além: tenho certeza de que o mundo é movido por pessoas que ousam enfrentar desafios. Por aquelas pessoas que tomam decisões, sejam certas ou erradas, pois mesmo através do erro existe aprendizado. Aquele que fica em cima do muro a vida toda, não constrói nem destrói. Permanece observando inerte no centro da grande roda que faz a vida girar. Ocupa sempre o mesmo espaço e jamais saberá o quão prazeroso é estar em constante movimento. E estar em movimento é sentir, é estar vivo. Tome decisões em sua vida. Saia de cima do muro. Mergulhe de cabeça para um lado ou outro. Há sempre o que aprender com a curiosidade, pois o mundo é feito por aqueles que, a cada resposta, são capazes de formular novas perguntas.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

FUMAÇA

Você já comeu meio bombom? Eu não. Confesso que também me esqueço de quem foi o vice-campeão, aquele que ganhou a medalha de prata. Gosto de sentir frio ou calor. Prefiro ódio e amor do que indiferença. O morno não desperta minha sensibilidade. Essa coisa de metade não é comigo. É tudo ou nada. Partida ou chegada. Ou junto, ou sozinho. É preto ou branco, rosa ou espinho. Quer ficar, fique. Quer partir, vá. Só não bloqueie meu caminho. Se tem fumaça tem fogo. Se é só brasa, já queimou. Se tem dúvida, desconfia. Acaba o que nem começou.

sábado, 1 de setembro de 2012

RECEITA DE AMOR

Desconfio a cada vez que me chamam de linda. O que quero? Não quero ser chamada de linda a todo momento. Quero sentir-me linda quando ao sairmos, você não olhar para outras mulheres na minha frente. Não quero escutar "eu te amo" todos os dias. Quero sentir-me amada recebendo uma dose de carinho depois de uma transa. Não quero atenção 24 horas por dia, mas sentiria-me satisfeita se você lembrasse de mim com uma ligação ou SMS querendo saber se está tudo bem. Quero que quando você esteja comigo, esteja realmente comigo. Não quero que você caminhe à frente para me proteger, mas que caminhe ao meu lado para ajudar-me a enfrentar os medos. Quero ser respeitada, valorizada e compreendida. Quero sua atenção sem precisar expor o corpo ou levantar o tom de voz. A receita para um relacionamento feliz está aí. Os ingredientes foram dados. E depois que a massa estiver no forno, lembre-se: o forno pode esquentar, mas se mexer muito na massa, o bolo cai.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

O SIM E O NÃO (VIII)

- Depois de anunciar estar determinada a não mais procurar tua companhia, não compreendo se devo sentir-me contemplada ou insultada por tua indiferença. Nem mesmo manifestaste qualquer reação diante de minha partida. Continuaste indiferente e frio, deixando transparecer tua insensibilidade frente aos meus sentimentos, de modo a me fazer concluir que jamais estive presente em teu pensamento. Quando lembro daquela noite em que me prometeste as estrelas, sinto uma mistura de tristeza e rancor. Como és tão carinhoso nas palavras e nos gestos se não te permites o amor? Confesso ser angustiante saber que meu orgulho jamais deixará que torne a vê-lo. Ao mesmo tempo, sinto-me livre desta grande ilusão. Quanto a ti, espero que jamais engane outro coração.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

O SIM E O NÃO (VII)

Covarde. Foste covarde ao despertar meus sentimentos sem que pudesses correspondê-los. Covarde, insensível e ardiloso, me enfrentaste desprovida de armas e escudos. Insensível, não percebeu quão frágil eram meus sentimentos. Entrelaçaste-me em tuas palavras tal qual fazem as aranhas em suas teias. Caí presa e aos poucos tiravas-me o fôlego. Sorte minha que teu descuido é maior que teu esforço, e por entre as brechas dessa fina teia, escapei ilesa ao teu veneno mortal. Aprendi a desviar de tuas artimanhas, tão óbvias e vazias. Quanto mais tentas me convencer com tuas palavras, mais te enredas em tua própria armadilha.


quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O SIM E O NÃO (VI)

- E o que dizer de tua convicção, ao prometer-me as estrelas sem sequer saber admirá-las? Do mesmo modo, me falavas do amor sem conhecê-lo. Aquilo que acreditas ser amor, não passa de uma noite neblinada. Não consegues enxergar um palmo à tua frente, que dirá contemplar o céu estrelado! Tão distantes quanto as estrelas estão ao nosso toque, está o amor dos teus sentimentos. De todo modo, talvez algum dia percebas a diferença entre tocar e sentir.


quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O SIM E O NÃO (V)

- Lamento ter sido demasiadamente sincera, pois pessoas iguais a ti, não sabem como agir diante da sinceridade: aproveitam-se e passam a esnobar os sentimentos alheios. Deveria mesmo ter ocultado a verdade. Creio que não estás acostumado com sinceridade e tens necessidade vital por mentiras. Pois que viva delas!

terça-feira, 14 de agosto de 2012

O SIM E O NÃO (IV)

- Cada vez que precisaste de alguém que te fizesse sorrir, não exitou vir ao meu encontro. Foram longas madrugadas em que ofereci atenção aos teus reclames e segredos. Me entregava a ti de todo o coração e mostravas encanto em minha companhia. Mas havia algo que de mim escondias. De toda sorte, descobri em tempo que todas as horas agradáveis ao teu lado eram vazias. Como pude ser tão tola? Teus beijos, carinhos e melhores sorrisos não destinavam-se a mim. E eu, que outrora te ofereci a primavera, hoje não te ofereço nem mesmo uma flor em meu jardim.

O SIM E O NÃO (III)

Disseste que procuras alguém de valores, mas demonstras tua necessidade carnal e infame diante de qualquer rapariga. A maturidade que tens em tuas palavras, não tens nas atitudes. Poupe-me de tua demagogia e faça uso do tempo para refletir sobre tuas reais aspirações. Colocaste-me em um pedestal como tua rainha, mas a cada gesto distante demonstra que tuas intenções jamais foram merecedoras de meus nobres sentimentos. Desejo apenas que te afastes. Não pretendo ser parte da coleção de teu antiquário barato.


domingo, 12 de agosto de 2012

O SIM E O NÃO (II)

- Deixaste meus sonhos sobre um castelo de cartas e trouxeste a calmaria. Mas vejo a tempestade se formar no horizonte. Não passaram quatro luas desde que partiste, deixando-me à sorte de todas as brisas. Quanto tempo mais terei de esperar até que percebas que teu castelo de cartas não me lançará ao chão? Enquanto te afastavas, aprendi a voar.

O SIM E O NÃO (I)


- Apenas diga se meus sentimentos são por ti correspondidos!
- Sinceramente? Devo confessar-te que conheci o amor uma vez, e lembro que ele era bem diferente disso!

PULSAR

Enquanto respira, cada pedaço em seu corpo deixa transparecer a sensibilidade da vida. A força indecifrável que determina sua existência, transforma cada segundo em nova oportunidade. Os sonhos, que acompanham os suspiros e elevam sua alma, transformam a mágica jornada da vida em um tapete repleto de flores sob o céu reluzente de uma tarde de verão. E os poemas brotam como fontes de água cristalina, frutos da mesma vertente que alimenta o coração que pulsa, e encontra nos amores a sua razão.

sábado, 11 de agosto de 2012

TARDES DE INVERNO

Lembrou quando outrora
sobre a relva verde deitava.
Naquelas tardes de inverno

por horas o céu contemplava.

Assim como as nuvens que observava
transformando-se lentamente,
também transformavam-se os sonhos,
e os pensamentos em sua mente.

O que há no mundo lá fora?
Onde mora a felicidade?
Quantas são as estrelas?
Existe amor de verdade?
Muitas tardes e invernos passaram,
ela conheceu a realidade.

Desejava nunca ter desejado
descobrir o que no mundo lá fora existe.
Que a felicidade não tem endereço,
que há tanta gente triste.

Que as estrelas são infinitas,
mas que ninguém as alcança.
Quanto ao amor, não sabe se existe,
mas ainda carrega esperança.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

SÓ O AMOR FALARÁ

É notável o modo gentil com que tal cavalheiro lhe dirige as palavras. Belo, carinhoso e cordial. Ao que mais o coração de uma jovem poderia desejar? Sua ternura e apreço, por ele são crescentes, embora ela sinta no fundo d'alma que o sopro do amor ainda não habita seu coração. É bem verdade que está sensível, e é visível sua necessidade por companhia. Na verdade, poucas são suas necessidades, senão ter motivos reais para sonhar com a felicidade ao lado de alguém que lhe complete nos mais primitivos sentimentos que o homem possa carregar. O amor! Ah, o amor! É quase um amuleto raro, por ela desejado, para ser contemplado e vigiado. Para ter-lhe sempre junto a seu coração. Suas noites trazem embaraçosos pensamentos que lhe fazem questionar se seria conveniente aceitar os cortejos daquele rapaz, ou se espera até que seu coração se abra em flores. Promessas, surpresas... Em meio a tantas dúvidas a certeza de que em seu coração, só o amor falará.

domingo, 29 de julho de 2012

ASAS QUEBRADAS DE UM ANJO TORTO

Tenho asas de um anjo torto 
que tenta alçar voo por impulso. 
Se caio, levanto e sigo o curso. 
Sangrando no escuro,
em busca do lar.
Ferido e inseguro,
reaprendo a voar.
Desfragmento lembranças, 
expurgo tristezas,
alimento sonhos.
Ao voo da esperança me proponho.
Não resta pranto,
não resta canto,
não resta dor.
Este anjo caído, torto e perdido, carrega o amor.

sexta-feira, 13 de julho de 2012

SÓ DEPENDE DE SER

Dor é vida.
Me convida pra ver quem vai, quem veio e quem foi.
Quem sou? O que fui, pra onde vou.
Esperei teu chamado. Mas só o silêncio falou.
Quem fica?
O que traduz minha alma?
A noite lá fora?
A solidão agora?
O que não vivi?
O que não pensei?
Poderia estar sorrindo
Poderia estar mentindo
Poderia estar aqui.
Então onde estás?
Em qualquer lugar entre o antes e o agora
No momento que não foi
Na angústia da demora
Mas a vida convida
Me ensina, me acha
O meu tempo não chega, não passa
Madrugadas escondidas debaixo do cobertor
Eu, você, nossos sonhos de amor
Seria você, ou apenas minha imaginação
Interrogação.

A AVENTURA SOLITÁRIA DE VIVER TEMPESTADES

Das tempestades  entendo
delas não fujo
não tenho medo
à elas me rendo
me sinto forte
me sinto viva
me sinto plena
delas sou parte
gota pequena
Enquanto outros correm aos prantos
enquanto tantos pedem abrigo
eu levo algo comigo
extinto, destino, fascinação
quanto maior for a tormenta
mais meu encanto aumenta
sei de sua força e sua grandeza,
sei do seu poder de transformação
sei também da capacidade de destruição
onde não encontra bases seguras
Ainda assim, gosto de estar entre elas,
Prefiro sentir a força da chuva do que admirá-las da janela
pois lá guardo meus segredos onde ninguém ousa chegar
nessa aventura solitária de viver tempestades
nessa loucura de viver as verdades
encontrei minha essência e a felicidade...

AMOR É ESTRELA DE PRIMEIRA GRANDEZA

Nem tão perto que possa tocar,
nem tão longe que não posso sonhar.
Mesmo que haja distância entre nossos corpos
como há distância entre nós e as constelações,
se soubermos contemplar a mesma estrela
tornaremos próximos os nossos corações.
Sentimentos fortes são assim,
nem mesmo a distância pode impedir
que as noites sejam estreladas.
Nem mesmo as estrelas podem ter maior brilho
do que duas almas apaixonadas.

A NATUREZA DO SER, PELO SER DA NATUREZA

Fui, sob feição humana, modelada externamente.
Fêmea dotada de cachos loiros, olhos verdes, pele alva, corpo e mente.
Mas o corpo interno é flora e fauna. Natureza completa.
Ora sou forte como o carvalho na delicada primavera, ora sou frágil como a borboleta no rigoroso inverno.
Sou o gelo eterno, a busca da andorinha pelo orvalho da manhã.
As árvores que perdem suas folhas no outono, esperando um novo amanhã.
Como a vida que se renova a cada chuva de verão.
É a Natureza que pulsa na minha criação.
Tenho a agilidade de um felino.
Luto pela sobrevivência com perspicácia de um lobo.
E no meu destino também está a busca pelo novo.
Então me renovo, mudo de pele como a serpente.
Abandono as cascas, mas as cicatrizes são eternas.
São como as marcas deixadas em árvores pelos humanos.
Cortes profundos, que sangram em forma de seiva até cicatrizar.
Neste meu ser, vivem em harmonia o interno e o externo.
Para conhecer os dois, basta saber decifrar.
É na profundidade que me revelo.

MAIS DO MESMO

Mais do que rosto
mais do que resto
mais do que gosto
mais do que gesto
reconheço e recomeço
reinvento e interpreto
fios de cabelo
porta-retratos
vida vivida sem protesto
noites dormidas sem carinhos
dias doídos sem regresso
e assim me despeço
sorrindo confesso
apesar das agruras
um novo amor é tudo que peço...

ENTRE TRAMAS, LAÇOS E AMORES

Horas que não passam
Passos que não traçam
Traços que não laçam
Laços que não tramam
Tramas que não amam
Amores que não chamam
Chamados que não clamam
Clamores que se calam
E a madrugada
Inesperada
Traz teu retrato
O teu tato, teu cheiro
Olhar passageiro
Me tiras o sono
Espero calada
Sozinha, deitada
Jardim sem flor
Em meio ao nada
Que nasça o amor.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Os amigos da minha vida....

É engraçado. No tempo do fundamental, quando tinha lá meus 12, 13 anos, no desabrochar da adolescência, assim como as outras meninas da escola, eu também cobiçava ser popular, ter a beleza admirada pelos meninos, ser a menina mais desejada pelos meninos. Como eu não tinha lá todo esse charme, consegui ser a garota mais engraçada, mais parceira. Entrei no mundo dos meninos para compreendê-los e de certa forma, suprir a necessidade de contato masculino que toda menina tem. No ensino médio, a coisa continuou: eu tinha uma melhor amiga e vários melhores amigos. Um mundo interessante aquele: falar sobre futebol, garotas, games, aventuras! O mundo dos garotos sempre foi tão mais divertido! A menina que desejava ser vista, ser elogiada pelos atributos "físicos", agora era a peça que faltava nas rodinhas de conversa, par divertir e ajudar o público masculino em suas investidas com as outras garotas: "fulano, ela não gosta disso, ciclano, mulher quer isso, beltrano, a fulaninha está sem namorado e com o coração livre..." Entrei para a faculdade, e a coisa continuou a mesma: no final das contas, já nem penso mais no porquê da maioria dos meus melhores amigos serem homens. Eu sei que é legal. Sou rotulada por eles mesmos de "mulher macho", "amigo homem que mija sentado", "ah.. Tamara, tu não é a mais bonita, mas tu é engraçada, e é nossa amiga. É isso que importa!", "gorda"... Enfim... Aprendi muito com tudo isso: conheço o comportamento dos homens como nenhuma outra mulher conhece. Sei direitinho quando amam, quando estão tristes, quando estão traindo, quando precisam sair com os amigos (isso me inclui! hehe) apenas para tomar uma cerveja e colocar conversa fora. Sei também das coisas que suportam e daquelas que não suportam nas mulheres. Mas, às vezes me pergunto: por que mesmo sabendo de tudo isso, até agora não tenho um relacionamento normal? Trágico... hehe. Mas como dizem por aí: vão os anéis e ficam os dedos! E não troco esses meus parceiros por nada! Um salve pros meus grandes amigos!

Quando eu for mãe....

E de repente senti uma vontade enorme de ser mãe. Calma! Isso não signfica que vou sair por aí desesperada a procura um macho para me fecundar! Não! Claro que não! Mas sinto vontade de ser mãe. E essa vontade me fez pensar numa lista de coisas que preciso para ser mãe um dia. Em primeiro lugar, preciso de um lar. Um lar bonito, aconchegante, com violetas na janelas, que permita a entrada de sol nos quartos durante o dia. Dois cachorros, um fogão à lenha para aquecer a casa durante o inverno e uma rede gostosa na sombra, para embalar o verão... Eu também preciso de um emprego: um emprego que me permita ganhar o suficiente para dar ao(s) meu(s) filho(s) (ou filha) uma vida bacana, com alguns sonhos realizados e um futuro garantido. Preciso também ter um bom plano de saúde. Tá. Sim, o principal: preciso ter tempo, muito tempo, para me dedicar exclusivamente ao meu filho/a. Carinho, paciência, compaixão, compreensão... Bem, quanto a isso, acho que já estou bem preparada! Amor eu tenho de sobra, e o amor faz tudo ficar mais fácil. Pensar naquele ser que crescerá quentinho dentro de mim. Pensar no seu coraçãozinho pulsando, pensar no parto, na explosão de sentimentos: a vontade de trazer ao mundo aquele ser que carregarei por 9 meses, de ver seu rostinho, sentir seu cheirinho, beijar, trazer pra junto do peito, será maior do que as dores. Quando esse dia chegar, sei que vou estar plenamente preparada! Bom. Esqueci de uma parte: para ser mãe, eu preciso encontrar um pai. Daí pensando, nesses tempos modernos, muitas mulheres não tem essa preocupação, de ter um pai para os seus filhos, de criá-los em um lar. Bem, eu respeito todas as opiniões quanto a isso, mas tenho a minha bem formada: só serei mãe de um filho gerado em meu corpo, se for um filho gerado com amor. Como saber que é o amor que está gerando o meu filho? Bom, acredito que se algum dia encontrar alguém que deseje ter filhos comigo, não terei dúvidas que também encontrei alguém que me ama de verdade. Acredito que quando um homem deseja ter um filho com uma mulher e a escolhe, é porque no mínimo, confia. Confia, e vê nela uma pessoa capaz de carregar, cuidar, proteger e amar sua semente. Não sei quanto às outras mulheres, mas o dia em que eu encontrar alguém que queira além de ser meu companheiro, ter filhos comigo, eu terei certeza de que sou amada. Enquanto esse dia não chega, vou sonhando com um piquenique de domingo no parque, com filhos, companheiro e cachorros. Grama verde, pão integral e suco de laranja. E agora, voltando à realidade, "bora" estudar pra conseguir realizar todos esses sonhos!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

SONHOS SÃO MÚSICA

Quando a música da alma solta as amarras ela toca tão alto e tão longe que contemplá-la torna-se inevitável. É como se a alma chorasse num lugar escuro e solitário e fosse consolada pela leveza de deitar sobre nuvens e dormir sabendo que existem os sonhos. Sonhos que se sonham enquanto a humanidade dorme. Enquanto as plantas crescem, enquanto o sol prepara-se para renascer. Sonhos são música. E gritam, e choram e cantam a alma inteira. Derramando sobre a noite o sopro da vida.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

FELIZ (INS)ANO NOVO!

Mundo cruel, mundo insano
Lá foi mais um ano
mais um engano
Levou minha fome, minha sede, meu sono
Agora não quero ir cedo pra rua
Aqui da janela também vejo a lua
Mas eu que me amo,
Por mais outro ano vou ser minha metade e mais uma.

CHUVA

Chove
leva tudo, lava a alma
anoitece
o futuro adormece e acalma
Esqueço de que fui
Conheço o que sou
Se chove ou se vou
tanto faz
águas passadas e
vidas marcadas
não voltam atrás.

DOSAR

De onde sai tanta esperança pra sonhar
Acreditar em ser feliz mesmo que a noite não acabe
Mesmo que os dias não passem
Mesmo que as dores não curem
Amar
Ser feliz ou se enganar?
Calar pode ser solução
Mas nunca se cala o olhar
Eu quero ouvir a razão
Não quero ser só coração
Mas vou aprender a dosar
E um dia eu vou acertar.